Press "Enter" to skip to content

Fui demitido. Virei patrão, e agora?

0

Quando perdemos o emprego entramos em um dilema: como fazer para continuar a carreira e evitar os prejuízos financeiros e psicológicos que a falta de emprego pode causar? Uns conseguem retomar as atividades e outros acabam recorrendo ao velho sonho de empreender, para suprir a lacuna deixada por uma demissão inesperada. É exatamente aí que mora o perigo!

Bom, antes de dissertar minha opinião sobre o tema, vou fazer um breve resumo de como embasei minha tese. Tenho 40 anos de idade, comecei a trabalhar com 15 anos e aos 22 abri minha primeira empresa. Fali duas vezes. Acabei no fundo do poço, afundado em dívidas e sem condições de pagar aluguel. Morei seis meses em um apartamento abandonado sem água, energia e banheiro. Em 2008, fundei a primeira empresa que deu certo – Evolute Profissionalizantes e Idiomas. No ano de 2011 entrei para o mundo do franchising, onde tive a oportunidade de conviver com centenas de empreendedores de diversos perfis, que tiveram muito êxito ou que faliram e perderam tudo que economizaram ao longo da vida.

Boa parte das pessoas que tem carreiras interrompidas resolveram empreender, mas existe uma distância enorme entre um executivo de sucesso e um empreendedor.

A primeira coisa que os aspirantes precisam é fazer uma boa escolha sobre o ramo de atividade que irão começar. Uma dica valiosa é empreender em alguma coisa que você conhece e tem bastante afinidade. Quando iniciamos a jornada empreendedora, temos muitos desafios e dificuldades para serem superados, a falta de conhecimento no negócio pode ser um fator decisivo para o insucesso do projeto.

A segunda, é conseguir fazer a mudança de mindset. Antes, independente do resultado da empresa, o salário caia religiosamente na conta bancária no quinto dia útil de cada mês. No seu novo ambiente, o quinto dia útil torna-se o dia que as pessoas que trabalham para você aguardam ansiosas a remuneração acordada. Quanto ao seu salário, só vai receber, se por acaso conseguir honrar com os compromissos sem precisar aportar capital, e se por ventura sobrar. Caso o contrário, precisará trabalhar de graça por algum tempo sem perder a motivação e muito menos reclamar.

O terceiro desafio do novo empresário é a disciplina. Pode parecer ridículo, mas vi pessoas capazes e com carreiras outrora consagradas sucumbirem diante do livre arbítrio promovido pelo ecossistema empreendedor. Pessoas que passaram anos seguindo um relógio de ponto se deparam com a liberdade para buscar filhos na escola, acompanhar o cônjuge no supermercado, enforcar a quinta-feira para jogar um futebol ou qualquer outra regalia que fazem a produtividade diminuir significativamente no momento que deveria aumentar.

10 passos para conseguir fazer uma boa transição de uma carreira de empregado para empreendedor:

 Faça algo que você se identifique e sinta prazer;

– Estude o mercado;

– Descubra suas competências. Se elas forem insuficientes para ter performances comerciais, administrativas ou produtivas, procure se associar com pessoas que completem as qualidades necessárias;

– Se você pretende diminuir o risco, procure uma franquia. Se o seu desejo for não correr riscos, procure um emprego;

– Invista em capacitação;

– Conheça e estude pessoas que deram certo no seu mercado;

– Prepare-se para trabalhar muito e sem ninguém para vigiá-lo;

– Procure diferenciais competitivos para seu negócio;

– Tenha metas ousadas, elas serão fundamentais para te dar um norte;

– Seja paciente, as coisas não acontecem da noite para o dia.

Seguindo a cartilha básica do empreendedor que encontramos no Sebrae, ou em qualquer outra instituição voltada ao ensino coorporativo, suas possibilidades irão aumentar significativamente. Mas não espere vida fácil. Histórias empreendedoras que dão certo são eternizadas em livros, e isso ocorre porque a jornada é árdua e o fator superação necessário.

Empreendedores são grandes sonhadores que tem a capacidade de transformar os sonhos em realidade. Mas para o sonho não virar um grande pesadelo, preste atenção nas evidências do negócio, se por acaso perceber que está cometendo os erros listados abaixo, mude!

Os erros mais comuns cometidos por empresários antes de falir:

– Prezar qualidade de vida antes do período de maturidade do negócio, e delegarem a jovem empresa aos funcionários;

– Transformar o negócio no BNDES da vida e usar o caixa da empresa para satisfazer seus desejos de consumo pessoal;

– Eleger como mentores pessoas que nunca empreenderam com sucesso em seu segmento;

– Adotar um discurso que busca o tempo todo racionalizar e justificar possíveis derrotas;

– Empreender em segmentos que não conhecem nada sem pertencer a alguma franquia;

– Gastar mais do que ganha;

– Colocar a culpa dos erros em todos a sua volta como sócios, colaboradores e governo, menos em si próprio;

– Ser emocionalmente despreparado e acreditar que tudo vai ser fácil;

– Não formar uma boa equipe;

– Escolher uma praça ruim;

– Optar por negócios de modinha buscando algo que o deixe rico instantaneamente;

– Ficar vaidoso e arrogante.

Mesmo com todas essas dificuldades e riscos vale a pena abrir o próprio negócio? Definitivamente, sim!

Optar pelo empreendedorismo é aceitar desafios e acreditar que seus sonhos podem se tornar o sonho de milhares de pessoas, e fazer do mundo um lugar melhor. É trabalhar por propósito e colocar o legado construído a frente de resultados financeiros. É saber que tem nas mãos a oportunidade de transformar a própria vida. Por medo do fracasso, muita gente acaba negligenciando a vocação ou deixando para amanhã o que pode ser empreendido hoje.

Se você se viu na encruzilhada, precisa tomar uma decisão, e se sente preparado para encarar o desafio, faça. Vá e vença! Se você esperar as condições ideais para iniciar seu negócio, provavelmente não o fará!

Se em algum momento as coisas se tornarem mais difíceis que o imaginado, siga o exemplo do filme Fome de Poder e persista. Nada no mundo pode superar a persistência, nem mesmo o talento. Não há nada mais comum que talentosos fracassados. A genialidade não supera. Um gênio desconhecido é praticamente um clichê. A educação não supera. O mundo está cheio de tolos educados. A persistência e a determinação são poderosas. Mostre que você não precisa ser derrotado por nada, que tem paz interior, uma saúde incrível e uma energia forte e constante. Se tentar alcançar essas coisas todos os dias, os resultados serão óbvios para você. Por mais que pareça uma fantasia, cabe a você criar o seu próprio futuro.

Antes de terminar, gostaria de falar que a minha história de erros e acertos no empreendedorismo virou livro e se tornou best seller. Sinônimo de Sucesso, a inspiradora história da dupla que com R$ 3 mil emprestados criaram quatro redes de franquias.

Raramente as oportunidades chegam de formas explícitas, e quase sempre se mostram disfarçadas de problemas. Aprenda a fazer essa leitura e automaticamente se transformará em um grande gerador de negócios, que tem a prosperidade e abundância como características principais.

Espero ter ajudado a todos que estão com essa dúvida ou que precisarão, em algum momento, tomar o caminho contrário na encruzilhada da vida.

 

Vinicius Almeida Carneiro

CEO Evolute Profissionalizantes e Idiomas Franchising

Transformando o mundo através da educação

Deixe seu comentário